Dicas para administrar uma empresa familiar - Sennda Software

Agendar certificado digital

Blog

Dicas para administrar uma empresa familiar


14nov2019


O sonho de ter seu próprio negócio é uma conquista que envolve não apenas o fundador de uma empresa, mas em alguns casos, toda a sua família, e administrar uma empresa familiar pode apresentar algumas adversidades que precisa ser tratadas com mais tato pelo empreendedor.

Você já parou para pensar em quantas empresas atravessam gerações após serem fundadas?

Cerca de um terço das empresas abertas passam para a próxima geração, e menos de 14% delas chegam a 3ª geração. O que mostra bem como esse tipo de tarefa não é simples.

Separamos algumas dicas para te auxiliar para que essa relação seja um pouco mais tranquila.

 

1 – Mantenha regras claras:

Quando várias pessoas de uma mesma família trabalham juntas, conflitos que são gerados dentro do trabalho, podem acabar saindo pelas portas da empresa e chegando ao almoço de domingo.

Deixar tudo bem claro pode facilitar muito essa relação, quanto cada um vai ganhar, qual a divisão dos sócios, quem é o sócio majoritário (se for aplicável), quais as funções e responsabilidades de cada pessoa.

Essas são regras que quando bem colocadas, podem facilitar bastante a relação, e impede que algum dos membros da relação cause alguma confusão por causa de questões mal explicadas.

 

2 – Se for necessário, elimine as “laranjas podres”

Em um negócio familiar, nem sempre todos os membros estão com o mesmo sentimento com relação a empresa, é comum, por exemplo, algumas pessoas que apenas fazem parte daquele negócio porque acham que precisam estar lá.

O que pode trazer grandes prejuízos para a empresa, já que nem todos os envolvidos tem a mesma visão de crescimento e dedicação para a empresa.

Isso pode sobrecarregar alguém, e mais uma vez o conflito pode estar armado.

Então, por mais doloroso que seja, esteja preparado para que decisões difíceis como essa sejam tomadas, ou aceite que a empresa pode acabar não dando certo a longo prazo.

 

3 – Uma pessoa precisa liderar

A organização fica mais simples quando a empresa familiar ganha cara de empresa onde ninguém se conhece, ex.: Estabeleça uma hierarquia, que não necessariamente precisa ter relação direta com o grau de parentesco dos envolvidos.

Escolha um líder pelas suas características de liderança, e não por ele ser a pessoa mais velha da família, ou o que é mais autoritário.

Ser um bom líder é uma tarefa difícil, e encontrar dentro dos membros da família uma pessoa que consiga equilibrar essa relação é fundamental para uma boa gestão.

Talvez uma pessoa mais jovem possa trazer para o negócio familiar uma cara nova e mais ousada, com mais chances de crescimento.

Ou talvez, uma mente mais experiente, possa trazer a solidez que a empresa precisa para se estruturar e manter o pé no chão.

 

4 – Evite privilégios

Em um ambiente em que envolve o relacionamento entre pais e filhos, tios e sobrinhos, é comum que algumas atitudes de mais “liberdade” sejam trazidas para dentro do ambiente de trabalho.

Isso a longo prazo pode trazer desconfortos mais sérios para a empresa, principalmente quando se tem a mente de crescimento e contratação de funcionários que não fazem parte da família.

É preciso lembrar sempre de que se trata de uma empresa, e levar isso como um trabalho qualquer faz toda a diferença para o negócio ter o profissionalismo necessário para o sucesso.

Não permita que questões familiares sejam levadas para dentro da empresa, nem vice e versa, saídas, faltas, mau comportamento… Todos são fatores que precisam ser tratados com a seriedade que uma empresa comum trataria seus colaboradores.

 

5 – Prepare um sucessor profissional

Como já era de se esperar, uma empresa familiar precisa de um sucessor, de preferência alguém da própria família.

Mas esse momento deve ser preparado com muita cautela, pois envolve o legado de alguém para outras gerações, e se essa escolha não for feita de forma correta pode ser o primeiro passo para o fracasso da empresa.

Por isso, escolha bem um sucessor, esteja atento às características empreendedoras dessa pessoa, talvez a escolha mais óbvia não seja a melhor por diversos fatores, e seja preciso escolher outra pessoa que seja mais qualificada para a administração da empresa.

Após essa escolha, ensine! Tenha paciência para ensinar o novo sucessor os oficios que envolvem o seu negócio. Mostre a ele os melhores caminhos, exija dele uma capacitação profissional adequada.

Não é porque não houve nos antecessores que ele está liberado de se especializar. Existe um curso rápido no SEBRAE que fala exatamente sobre Como administrar uma empresa familiar, esse curso é gratuito e pode auxiliar você e sua família a entender melhor como ter uma relação saudável dentro e fora da empresa.